“O importante é o que eu acho de mim, o que os outros acham de mim é um problema deles.”

A frase acima é uma provocação arrogante para escrever sobre uma das maiores tiranias de nossos tempos, a das expectativas impossíveis impostas pela sociedade, família, amigos, empresa ou qualquer outro grupo que possamos pertencer ou interagir. Na sequencia veremos quais são, mas na minha opinião são as responsáveis pela “descaracterização da nossa vontade verdadeira”. Este é um dos motivos por que “nascemos originais e morremos cópias”, como dizia o psicanalista Jung.

Expectativa vem do latim exspectare. É utilizada para designar a condição de alguém que tem esperança em algo que foi baseado em promessas, ou passível de se tornar realidade. Também é o estado ou qualidade de esperar algo ou alguma coisa que seja viável ou provável que aconteça; um grande desejo ou ânsia por notícia ou acontecimento benéfico ou próspero. Vejam, que expectativa está ligado a algo realizável e benéfico.

Observando o que realmente é expectativa, podemos estranhar, pois temos a sensação de que está mais ligada a ansiedade, um sentimento de excessiva excitação e parente próximo do medo. De onde vem está deturpação do que é expectativa ? A resposta é, de nós mesmos enquanto sociedade. Ao identificarmos o ato de esperar em um plano de negócio ou de vida, com base muitas vezes irreal, transformamos a expectativa que deveria ser agradável e gostosa, em algo tenso e desagradável. Isso se materializa aceitando empregos que impõem metas de vendas impossíveis de serem alcançadas, ou adquirir uma casa, carro ou outro bem material muito além de nossas condições. Estas escolhas deturpadas, para serem alcançadas vão exigir sacrifícios desnecessários, pouca satisfação e quase sempre uma sensação de vazio, característico das compulsões, resultado de um insaciável “quero mais”.

É claro que precisamos superar desafios, transformar o impossível em improvável, e o improvável em possível, mas isso só funciona se houver motivação, e atitudes saudáveis, e isso só acontece quando o objetivo for realizável, gerar expectativa saudável, e não ansiedade e medo do fracasso. Também temos que considerar, que muitas vezes como disse Jung, queremos copiar ou usar os planos alheios para gerar nossas expectativas, e isso não é algo inspirador, mas um modelo copiado, e por isso falso, efêmero e insustentável.

Num mundo em constante mudança, onde temos pouco, ou muitas vezes nenhum controle sobre os acontecimentos, precisamos aprender a criar expectativas possíveis, e sair da tirania dos desejos dos outros, ou mesmo dos nossos falsos desejos copiados, que tornam qualquer tipo de expectativa um poço sem fundo de ansiedade. Considero esse um dos maiores males dos nossos tempos, por ter como consequência mais drástica o estresse, que pode levar a um AVC ou infarto, e que neste trajeto faz muitos estragos na vida gerado pela irritabilidade e depressão.

Aprender a gerar expectativas realizáveis com uma certa dose de desafio, mas factíveis no limite do saudável, é o desafio destes novos tempos. Complementando, vejam que não é nada saudável esperar uma promoção, onde o principal objetivo seja ganhar mais dinheiro, principalmente se for para pagar contas de coisas que não precisava ter adquirido. A frustração de trabalhar em algo que não traga satisfação, criará vazios, e novas aquisições sem sentido serão feitas, gerando novas ansiedades.

O título deste texto, mostra que essas expectativas quase doentias, como as já citadas, acrescidas de metas inalcançáveis de vendas dobradas a cada ano, ou esperar que um filho trilhe um caminho profissional, ou mesmo que case com um padrão de pessoa para atender as expectativas dos pais, são insustentáveis. É também de nossa responsabilidade observar outras situações que levam a expectativas deturpadas, onde pessoas podem se corromper para atender necessidades equivocadas de poder e dinheiro. Todas essas chamadas expectativas podem ser alcançadas, mas na realidade não são expectativas atendidas, pois levam a uma satisfação temporária e rasa, e não algo mais sustentável e profundo.

Por tudo isso, precisamos sair da tirania imposta por uma sociedade muito pouco original, geradora da ansiedade por mim chamada de “expectativa impossível”, e construirmos com nossos potenciais, muitos ainda nem descobertos, objetivos, planos e sonhos que gerem expectativas reais, com sensação de satisfação e prosperidade. Isso é sustentável.